h1

Crianças de estimação

Setembro 10, 2006

Quem já foi a uma grande área comercial não consegue evitar vê-las, por vezes até ouvi-las, falo obviamente das crianças de estimação.

Quantas vezes vemos pais que parecem ostentar uma relação de mera dependência económica e/ou sexual (às vezes nem esta…), que se prolonga apenas por uma convenção social estranha qualquer, passeando-os. Pode ser só um/a, normalmente são de dois para cima. Sim, porque um casamento sem um “casalinho” não é um casamento a sério, já dizia a avózinha (e não era a do capuchinho vermelho!).

Até percebo passeios a centros comerciais para degustar a mui deliciosa contudo pobremente nutritiva comida que os rebentinhos adoram! passear no parque ou no campo, está fora de moda, os centros comerciais são toda a diversão de que as crianças precisam.

Senão vejamos: horas intermináveis a pé, entrando em lojas de roupa, umas atrás das outras, lojas de decoração, etc, etc… O que pode mais uma criança pedir? Com sorte até vai ao supermercado e pede um boneco ou leitor de mp3, ao qual os pais replicarão que “Isso é um desperdício de dinheiro” enquanto compram papel higiénico perfumado com som e luzes. Ou noutras hipótese que comprarão para compensar o amor e carinho que não conseguem dar quando os abandonam nos infantáros a semana inteira.

E óbvio quando a crinaça fica cansada mete-se no carrinho de bebé (apesar da criança já ter uns 7 ou 8 anos) só para ver se ela se cala da birra incessante e interminável depois de várias promessas falhadas de “vamos àquela loja que tem coisas giras!”

“Mas ó Parvo, ter um filho é uma enorme responsabilidade, não sabes tu da missa a meio! E dizes isso porque não tens filhos! SEU INSENSÍVEL, mauzão pá!!”

Até posso não ter filhos, mas acho que fazendo uma lista de compras só é preciso um indivíduo do casal ir ao supermercadinho e fazer as suas comprinhas, escusa de tar lá a/o mulher/marido mais os dois (ou em vários casos, mais) filhotes a berrar feitos que nem doidos, com as caras mais vermelhas que o equipamento do benfica. E já estou a descontar a parte da baba e do ranho, é de lembrar que a maior parte destes seres ainda não tem as vacinas todas, por isso podem ser vectores infecciosos os diabinhos…

Acho que a criança de estimação é cada vez mais a criança de eleição dos papás e mamãs frustrados de hoje em dia, casamento falhado, tentam salvá-lo com o nascimento de putos em sucessão. Epá tudo muito bem, não os querem levar ao parque ou a a outras actividades para os entreter.OK, por mim tudo bem, mas afastem esses vossos animaizinhos de mim quando vou a uma área comercial para efectuar compras!! Os meus tímpanos sofrem (e ninguém me pode pagar o facto de ensurdecer um pouco mais rápido, para além das aspirinas necessárias…), o meu coração parte-se (sim, porque eu no fundo sou um lamechas) e só consigo ver um futuro sombrio para todos estes putos mimados com todas as prendinhas mas sem carácter nenhum.

APRENDAM A EDUCAR A PORRA DOS VOSSOS FILHOS, UM FILHO NÃO É UM CÃO, NEM É UM BRINQUEDO, SE NÃO TÊM A CERTEZA DO QUE QUEREM FAZER COM A VOSSA VIDA TAMBÉM NÃO TENHAM FILHOS, HÁ UMA MÍRIADE DE CONTRACEPTIVOS DISPONÍVEIS, PARA ALÉM DE QUE UM POUCO DE PRECAUÇÃO DURANTE OS ACTOS SEXUAIS TAMBÉM AJUDA!

Lembrem-se que as crianças de hoje, são os adolescentes de amanhã.

As crianças não são uma novidade para mostrar aos amigos e vizinhos e dão trabalho a educar. CRIEM CRIANÇAS QUANDO TIVEREM CONDIÇÕES PARA ISSO!

Este foi um serviço público prestado por:
Parvo Na Cadeira

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s

%d bloggers like this: